“Bad environment”, a saída? A Paixão


Sabe quando o clima está pesado, todos pisando em ovos, sem saber se está trabalhando corretamente ou não e no relógio as horas não passam para que você possa ir embora…

Ou mesmo quando chega a um lugar, qualquer lugar, e não se sente acolhido?

O que se vê é a falta de atendimento cordial, carinhoso e espontâneo. Como é ruim ter um atendimento amargo, sem expressão ou mesmo quando ao cumprimentarmos um colega de trabalho ele não responde a um se quer um bom dia.

Sabe qual é a resposta para essas pessoas estarem agindo desta forma? Falta de Paixão.

Paixão por aquilo que faz! Sabemos que nem todas as pessoas trabalham no que gostam e que fazem alguns trabalhos por que realmente precisam, aliás, quem não precisa de uma fonte renda?

Eu já trabalhei em lugares que os meus olhos não brilhavam, assim como, já desejei muito trabalhar em uma empresa, que infelizmente não deu certo. Acontece!, mas não posso culpar meus colegas de trabalho, meus clientes e o mundo por isto. Já que está em plena atividade: Coloque paixão no que está fazendo e busque no seu interior o que você pode fazer para mudar, qual seu caminho, sua habilidade, sua aptidão.  Não tenha dúvida de que esta fase passará mais leve.

E para aqueles que estão iniciando seu negócio, eu chamo de paixão investir em Branding Pessoal, a marca chamada VOCÊ!

Responda: Qual o caminho para o mercado de trabalho?

Hum… posso arriscar que nos dias atuais, todos os diferenciais são levados em conta, mas a paixão por aquilo que faz, ou melhor, envolvimento pelo trabalho que realiza, o entendimento do real significado do seu serviço e sua importância no processo da construção de algo maior irá fazer total diferença.

E não importa a função, cargo ou grau de hierarquia no trabalho, o importante é gostar daquilo que faz.

Parece piegas, romântico ou clichê, mas particularmente, não há excelência e resultado positivo sem que se tenha colocado alegria nas atividades.

E como disse Confúcio – “Escolha um trabalho de que gostes e não terá que trabalhar nem um dia na tua vida.”

Vale a pena pararmos para pensar, justamente agora, que o mundo parece pegar fogo! rs

Beijos e até a próxima,

M,